Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Onde o mote é a fotografia e... outras eventuais peregrinações.


28
Mai16

IMG_5677.jpg

IMG_5685.jpg

IMG_5691.jpg

IMG_5692.jpg

IMG_5686.jpg

IMG_5697.jpg

O Mosteiro de Paço de Sousa foi fundado no século X por Trutesendo Galindes e sua mulher Anímia. Ligado à família dos Ribadouro, foi um importante mosteiro beneditino. 

A Igreja, edificada no século XIII no mesmo local do templo anterior (século XII), apresenta uma decoração muito própria. Utiliza ornamentação vegetalista talhada a bisel e desenvolve longos frisos no interior e no exterior da Igreja, à maneira da arquitetura visigótica e moçárabe (séculos V-VIII). Terá sido em Paço de Sousa que nasceu uma corrente com base na tradição pré-românica e influenciada por temas oriundos do românico de Coimbra e da sé do Porto, dando origem ao que se designa de "românico nacionalizado”. O plano arquitetónico da Igreja do Salvador de Paço de Sousa obedece à tipologia de templo beneditino de três naves: um corpo tripartido em naves de quatro tramos, separadas por arcos diafragmas e cobertas por teto de madeira; uma cabeceira igualmente tripartida, escalonada, com paredes testeiras redondas, e o interior abobadado.

No interior da igreja, conserva-se o mais importante túmulo românico nacional: o monumento funerário de D. Egas Moniz, aio do rei D. Afonso Henriques, que resulta da junção de duas arcas tumulares: uma dos finais do século XII e outra do século XIII. 

A capela-mor, a sacristia, o claustro e o que resta do edifício monástico datam dos séculos XVII e XVIII. O conjunto recebeu obras de restauro nos séculos XIX (1883 e 1887) e XX (1937-1939). A igreja do Salvador de Paço de Sousa integra a Rota do Românico.
 
Adaptado de: Rota do Românico.

- See more at: http://www.culturanorte.pt/pt/patrimonio/igreja-do-salvador-de-paco-de-sousa/#sthash.jenLHl3f.dpuf

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:10



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Posts mais comentados