Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Onde o mote é a fotografia e... outras eventuais peregrinações.


26
Dez13

Tempo de flores

por Maximiliano

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SE ÀS VEZES DIGO QUE AS FLORES SORRIEM

 

Se às vezes digo que as flores sorriem

E se eu disser que os rios cantam,

Não é porque eu julgue que há sorrisos nas flores

E cantos no correr dos rios...

É porque assim faço mais sentir aos homens falsos

A existência verdadeiramente real das flores e dos rios.

Porque escrevo para eles me lerem sacrifico-me às vezes

À sua estupidez de sentidos...

Não concordo comigo mas absolvo-me,

Porque só sou essa cousa séria, um intérprete da Natureza,

Porque há homens que não percebem a sua linguagem,

Por ela não ser linguagem nenhuma.

 

Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XXXI"

Heterónimo de Fernando Pessoa

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:05

23
Dez13

Lugares

por Maximiliano

 Aveiro: Passeios na Ria, ovos moles, mariscadas e muitas coisa boas!

 

 Espinho: Embarcações de pesca da tradicional Arte xávega!

 

Porto: Avenida dos Aliados com Câmara Municipal em fundo!

 

Felgueiras: A célebre casa do Pão-de-Ló de Margaride!

 

!Matosinhos: Mosteiro de Leça do Balio onde segundo a história, D. Fernando l, Rei de Portugal, casou com D. Leonor Teles

 

 

Vila do Conde: Praceta moderna e Capela de Nossa Senhora do Socorro!

 

Tibães (Braga): Claustros do Mosteiro!

 

S. Pedro do Sul (Estancia balnear): Edifício do Inatel!

 

Viana do Castelo: Traseiras do Santuário de Stª Luzia!

 

Foz do Douro (Porto) A famosa pérgula que embeleza a orla marítima da chamada zona da Foz! 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:26

19
Dez13

Fungos e Cogumelos

por Maximiliano

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cogumelo é o nome comum dado às frutificações de alguns fungos das divisões Basidiomycota e Ascomycota. A frutificação é a estrutura de reprodução sexuada destes organismos, tendo uma ampla variedade de formas e cores. A maioria dos integrantes do reino Fungi, assim como as bactérias, obtêm alimento decompondo a matéria orgânica do corpo de organismos mortos. Alguns obtêm alimento de outros seres vivos, com os quais se associam. Assim, os fungos podem ser decompositores, parasitas ou mutualísticos. 1 Muitos cogumelos são comestíveis, alguns, como Agaricus sylvaticus, o Agaricus blazei e Pleurotus spp., entre outros, são largamente cultivados com aplicação de cuidados monitorados, outros, no entanto, são tóxicos, podendo, em alguns casos levar à morte. Há ainda certos cogumelos com propriedades alucinógenas, utilizados tradicionalmente por diversos povos ao redor do mundo. O mais famoso destes é o Psilocybe cubensis, no entanto outras espécies de Psilocybe e mais raramente em outros gêneros, como Campanella, têm as mesmas propriedades, devido à presença de psilocina e psilocibina. Psilocybe é muito utilizado em rituais no sul do México. Outra espécie utilizada em rituais, desta vez na Sibéria é o Amanita muscaria.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:26

17
Dez13

 

 

 

 

 

 

 

 

Foz do Douro, também conhecida, em termos populares, por Foz Velha, é uma freguesia portuguesa do concelho do Porto, com 3,00 km² de área e 10 997 habitantes (2011). Densidade: 3 665,7 hab/km². No entanto, é conhecida por apenas Foz toda a zona do Porto Ocidental, que inclui as freguesias da Foz do Douro e Nevogilde, e ainda partes pequenas de Lordelo do Ouro, Aldoar e até Ramalde.

Foi vila e sede de concelho, com uma única freguesia, por três anos, até 1836. Tinha, em 1801, 2 429 habitantes.

A Foz do Douro é uma zona interclassista, sendo, no entanto, mais conhecida por ser uma zona habitada pela classe alta da cidade. O seu passeio marítimo, salpicado de esplanadas, bares e jardins à beira-mar fazem, desta zona, uma da mais procuradas dentro do Porto.

No seu património, realce para as primeiras manifestações em Portugal da arquitectura da Renascença, com a capela-farol de S. Miguel-o-Anjo, na Cantareira, e o palácio e Igreja, intra-muros do Forte de São João Baptista da Foz, obras mandadas construir pelo Bispo D. Miguel da Silva, em 1527, com a participação do arquitecto-escultor Francisco de Cremona. A Igreja Matriz e o citado forte (ambos do século XVII) são também de assinalar. Entre as encostas do Monte da Luz e a do Monte, descendo até à Cantareira, existe um aglomerado urbano rico que, em importância, segue logo o do centro histórico da cidade.

Raul Brandão nasceu aqui. Aqui viveram ou vivem a escultora Irene Vilar e os escritores António Rebordão Navarro, Vasco Graça Moura, Eugénio de Andrade e Antero de Figueiredo, entre muitas outras personalidades da nossa cultura. Sobre a Foz, muitas páginas foram escritas por, para além dos citados, Agustina Bessa Luís, Camilo Castelo Branco, Eça de Queirós, e outros, assim como vários artistas utilizaram os seus motivos para obras de arte: Vieira da Silva, Alvarez, António Carneiro, Armando Alves, etc.

 

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:08

11
Dez13

Em nome de Maria Isabel

por Maximiliano

 

 

 

 


Praia da Aguda ( Gaia )

A Praia da Aguda para além de convidar a banhos, convida sobretudo a contemplar uma vastidão de areal e mar a perder de vista. A grande extensão de praia, 
faz fronteira com uma bonita paisagem dunar e de vegetação natural.
Não se pode deixar de fazer uma longa caminhada pelos agradáveis passadiços de madeira.
Os apoios de praia não deixam esquecido nenhum pormenor, tal como aluguer de toldos, bar, esplanada, casas de banho.
A Aguda é também uma praia de gentes da pesca, que acolhem nas suas águas os veraneantes que ali se refrescam.
Fonte: Guia da cidade

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:09

09
Dez13

Torreira in sépia

por Maximiliano

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Praia da Torreira

Situada no cordão litoral que separa a Ria de Aveiro do mar, a Praia da Torreira para além de uma beleza natural ímpar, permite ao veraneante poder optar por ir a banhos num mar com condições óptimas para a práctica do surf ou simplesmente passar um dia nas águas mais tranquilas da Ria, também propícias à practica de desportos náuticos. Com uma extensão de quilómetros, a Torreira tem sempre um espaço reservado para mais um banhista. No seu imenso areal também existem condições para a pesca, razão pela qual a presença de barcos é mais que comum. Mas se optar por não ir a banhos, reserve umas horas para passear de bicicleta numa agradável ciclovia paralela à praia. A Praia da Torreira é a combinação perfeita entre a natureza e a influência do urbanismo.

Fonte: Guia da Cidade


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:01

03
Dez13

Porto-Estação de S. Bento

por Maximiliano

 

 

 

 

 

 

 

A estação de caminhos-de-ferro de São Bento, no Porto, foi considerada pela edição on-line da revista norte-americana "Travel+Leisure", como uma das "16 estações mais bonitas do mundo".

A revista de turismo e lazer, que afirma ter 4,8 milhões de leitores, destaca na estação de São Bento os painéis de azulejos da entrada: "Se o exterior é certamente bonito e traz-nos à memória a arquitectura parisiense do século XIX, com o seu telhado de mansarda e a frontaria de pedra, é o átrio principal que o fará engolir em seco. As paredes estão cobertas por 20.000 esplêndidos azulejos, que levaram 11 anos para o artista Jorge Colaço completar."

 

Fonte: Jornal de Notícias

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:06

02
Dez13

Intensíssima Ribeira

por Maximiliano

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Ribeira do Porto, junto ao Rio Douro, é um dos locais mais típicos da cidade do Porto e, integrando a Zona Histórica, faz parte do Património Mundial designado pela UNESCO. Hoje em dia é um local de bares e restaurantes muito procurado, nomeadamente pelos turistas.
Alguns dos pontos fortes são a Praça da Ribeira, também conhecida por Praça do Cubo, a da Rua Fonte Taurina, uma das mais antigas da cidade, o Muro dos Bacalhoeiros e a Casa do Infante, onde nasceu em 1394 o Infante D. Henrique.
A Praça da Ribeira é de origem medieval, tempos em que ali já existia uma grande atividade económica devido à presença de um porto de rio. Com o tempo passou a ser uma zona de intenso comércio, com tendas de venda e uma lota.  

 

Fonte: Infopédia

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:41


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados